quarta-feira, 22 de abril de 2009

factos

José Sócrates foi longe demais no ataque à TVI e sabe-o muito bem.

As suas declarações são ofensivas para uma instituição inteira, insultuosas para os seus profissionais e uma demonstração clara da má convivência que o Primeiro Ministro sempre teve com o pluralismo e a liberdade de imprensa.

José Eduardo Moniz tem toda a razão. Sendo verdade que a TVI tem, por opção, uma linha editorial que dá espaço e atenção aos múltiplos descontentamentos que grassam no país, a verdade é que apenas relatou factos. J.E.M. não chegou ontem ao mundo do jornalismo e nunca daria o flanco, permitindo um processo por difamação por parte do Primeiro Ministro.

Ao contrário, Sócrates dá o flanco todo, mostrando ao país o triste espectáculo do seu desespero. Foi emocional, irreflectido, contraditório e conseguiu com isso arranjar um inimigo extremamente perigoso, especialmente para um político que enfrentará eleições dentro de poucos meses...

Sócrates já não engana ninguém: o problema não é a linha editorial da TVI. O problema são mesmo os factos.


10 comentários:

Carlos Medeiros disse...

Não defendo o primeiro ministro ou qualquer outro político, aliás, vivo a me defender deles, das suas prepotências, preconceitos e asneiras. No entanto, permitam-me que diga que, pese embora o direito de liberdade de imprensa e o pluralismo, há exageros da parte da comunicação social, os notíciários da TVI por vezes roçam o mais baixo nível, e quando a Manuela Moura Guedes os apresenta, baixa vertiginosamente.

Tiago R. disse...

Os comentários que Manuela Moura Guedes faz às notícias, enquanto pivot, não são sempre, de facto, os mais objectivos e correctos.

Mas o que é substantivo são as reportagens. E essas estão bem feitas.

Tibério Dinis disse...

Isto é simples de resolver.

Sócrates não entende o que é liberdade de imprensa.

Moniz não entende o que é liberdade individual e difamação.

A razão neste caso não está apenas de um lado, ambos os lados já infringiram limites.

Haja Saúde

Anónimo disse...

Uma coisa é pluralismo e liberdade de imprensa, outra conviver com a difamação.

Anónimo disse...

Esta coisa de atirar noticias para a praça pública, tentando denegrir A, B ou C, ainda por cima sem provas e sem presumir inocência, deve dar direito a cadeia.
Não a ver com abusos de liberdade que devem ser devidamente punidos.

Será que eu tenho direito de pressionar?
Então lá vai.

Srs Magistrados tenham vergonha e tratem de esclarecer o assunto freeport quanto antes. Quatro anos não dá?

Tiago R. disse...

remeto o último anónimo para o título do post: Factos.

E foi só isso que a TVI noticiou. Se considera que a imagem de Sócrates foi denegrida, a interpretação é sua.

O seu desejo, é o de toda a gente. É fundamental que o caso Freeport seja esclarecido antes das eleições!

Tibério Dinis disse...

Caro Tiago R.,

permita-me, mas acho que está a fazer confusão. O dvd em si não são factos, não sabemos se foi manipulado ou não. Acho estranho o dvd ter surgido na TVI, dado que está em Inglaterra, não teria saido 1º num ocs inglês?!

Nem tudo o que aparece num telejornal ou jornal são factos, são possíveis ou potênciais factos apenas isto.

Mesmo que Sócrates seja inocente e que isto venha a ser provado em Tribunal Português e Inglês, com tudo isto. E talvez por se saber que Sócrates sairá sempre a perder é que se inciste em tudo isto.

Eu se gravar uma conversa com um amigo meu a dizer que o Tiago R. é corrupto e que lhe enviei dinheiro para me fazer uma favorzinho qualquer e mandar para a TVI isto não prova nada, seria pura e simplesmente uma difamação da minha parte.

Haja Saúde

Tiago R. disse...

Se isso acontecesse, e se o Tiago R. fosse uma figura pública ou mesmo Primeiro Ministro (safa!), por muito que me custasse, isso seria notícia e teria de ser investigado.

Caso se provasse intenção dolosa na divulgação de falsas declarações, então, sim, seria difamação.

Tibério Dinis disse...

Exactamente caro Tiago R, por agora é impossível saber o que é difamação e o que são factos.

Por agora só há um universo de potencialidades, tem tudo que ser investigado. Agora os critérios editoriais é que têm que avaliar se certa e determinada informação tem validade para ser notícia ou não. Ou a TVI está muito segura e sabe mto mais do que diz, ou então está totalmente descalça.

Haja Saúde

Tiago R. disse...

Não tenho ilusões: a TVI não faz o que faz por um espírito cívico de cidadania. Fá-lo porque vende.

Sócrates, com a sua atitude, foi pouco inteligente, pois agora a TVI vai vender ainda mais!

E acho que foi longe demais ao criticar um média daquela maneira. Nem Aznar sobre o El País tinha ido tão longe!