terça-feira, 19 de maio de 2009

a coisa complica-se

Empordef avança com providência cautelar

A empresa detentora dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo não se vai limitar a ficar de braços cruzados em relação à devolução dos 32 milhões de Euros já pagos pelo Atlântida.

Apesar das declarações optimistas do Secretário Regional da Economia no parlamento, este é um cenário que se esperava. A isto seguir-se-à, provavelmente, um longo e atribulado processo judicial de resultado incerto.

Não sei bem, como o resto dos açorianos também não sabe, de quem são as maiores responsabilidades, se de quem não construiu o que estava no projecto, se de quem fez um projecto inexequível, se de quem devia ter acompanhado e fiscalizado a obra e não o fez. E este é o esclarecimento que continua a faltar...

3 comentários:

Tibério Dinis disse...

Não acho que a providência cautelar surta efeito. Quanto ao processo judicial, acabará por acontecer. Mas, se nos Açores se critica a demora em rescindir o contrato por parte do GR, em termos jurídicos e pelo que diz a imprensa, o timing foi o melhor. Só depois do falhanço do testes de mar é que há grande suporte de defesa do GR.

Haja Saúde

Tiago R. disse...

Preocupa-me que as alterações ao projecto (tem-se falado p'raí em acrescento de camarotes) venham baralhar esses dados.
Será que a responsabilidade está mesmo toda do lado do estaleio?

geocrusoe disse...

não sei de onde está toda ou parte da culpa... mas merecíamos ter a informação completa sobre este processo. doa a quem doer