segunda-feira, 25 de maio de 2009

mais com menos


Lamenta-se que a edição online tenha resolvido nem colocar a foto do entrevistado no artigo. Silenciamentos? Yo no creo en las bruxas...

Destaca-se a afirmação de que os deputados comunistas trabalharam mais em prol dos Açores do que os deputados açorianos do bloco central. Na edição em papel, fundamenta-se com o número de iniciativas directamente relacionadas com o nosso arquipélago, entre relatórios, pareceres e resoluções:

Ilda Figueiredo e Pedro Guerreiro: 14
Paulo Casaca e Duarte Freitas: 6 (2 pareceres, 1 resolução, 3 relatórios).

Sendo que a quantidade não será tudo, penso que fica demonstrado quais são afinal os deputados "dos Açores" ou que, sem o ser, na prática defendem os interesses da Região. Afinal, mesmo pertencendo a uma família política de menor dimensão no PE, é possível fazer mais com menos.

4 comentários:

Anónimo disse...

é mesmo por pertencerem a uma família mais pequena no PE que podem fazer mais e dar mais nas vistas pois cabe a cada deputado mais tempo e área de intervenção.

Tiago R. disse...

Não estou a falar de intervenções. Estou a falar de iniciativa política. (Propostas de resoluções, Perguntas à Comissão, etc, que não dependem da direcção das bancadas.

Mas fica também provado o escasso peso político dos deputados do PS e PSD nas respectivas bancadas. Bem lembrado!

Anónimo disse...

Como é que estes números (curiosamente publicitados pelo candidato do mesmo partido) se relacionam com notícias recentes sobre o ranking dos deputados ao PE por produtividade e em que Paulo casaca por ex. surge no top ? E em que medida é que assuntos de interesse mais vasto não dizem respeito também aos Açores de forma não directa mas quiça mais importante ?

Tiago R. disse...

É claro que assuntos mais vastos interessam aos Açores!
Isso só quer dizer que você concorda comigo quando digo que não é por serem açorianos os candidatos que a Região ficará melhor defendida!