domingo, 14 de junho de 2009

amanhã também

Álvaro Barreirinhas Cunhal
10/11/1913 - 13/06/2005


Naquela tarde inesquecível de 2005, perto de um milhão de pessoas invadiu as ruas de Lisboa na despedida a mais do que um dirigente político, um amigo que sentíamos próximo. Com a mesma urgência maior de estar estar presente, de participar, de fazer um último gesto de mágoa ou de esperança, a multidão atravessou toda a cidade, a derramar esperança vermelha pelas avenidas. Há momentos assim, que se tornam partes incontornáveis do que somos.


Porque há homens que a morte não derruba. Vontades que o tempo não destroi. Aqui estamos. Contigo. Hoje. Amanhã também.


3 comentários:

Pedro Jesus disse...

Nunca me irei esquecer das imagens da Rua Morais Soares. Foi e será sempre uma referência no espectro político de Portugal.

Anónimo disse...

Também estive lá nese dia, para uma ultima homenagem ao Homem que sonhou com um ideal, ao Politico que levou atras de si multidões, ao Artista imortalizado pelas suas obras e Livros.

Tiago R. disse...

Quer se concorde ou não com Álvaro, é algo que não se pode mesmo esquecer!