sábado, 13 de junho de 2009

congressos que não enganam ninguém

A moção ao congresso da JS Açores demonstra bem o confuso arrazoado pré-eleitoral dos socialistas, muitoo preocupados em demarcarem-se do "capitalismo financeiro" e do "liberalismo desregulado", dos quais há bem pouco tempo eram os mais fieis promotores.

Mas, contradizem rapidamente as próprias ideias com os chavões sobre a "nova economia" e a "desmaterialização da economia" e os "capitais de risco", demonstrando que nada perceberam da actual crise do capitalismo e sobre a necessidade de, ao invés, voltarmos a investir na economia real e produtiva.

Mas pior do que tudo o que diz é tudo o que procura silenciar, especialmente me relação à política dos Governos de Sócrates e César. Sobre o código do trabalho e institucionalização do trabalho-precário-permanente: nada. Silêncio.

Sobre o fim do vínculo permanente na função pública, com a consequente precariedade ou sobre o aumento da idade da reforma (que é porventura a principal causa do desemprego jovem): nada. Silêncio.

Sobre o acesso ao subsídio de desemprego para os jovens à procura do 1º emprego: nada. Silêncio.

Sobre o encerramento de escolas, sobre a asfixia das universidades, sobre as propinas e o aumento dos custos de frequência no ensino superior, nada. Silêncio.

Sobre o fim do incentivo ao arrendamento jovem e a sua substituição por um programa que passou a apoiar apenas 3000 jovens a nível nacional (contra os anteriores 22.000): nada. Silêncio.

A JS está a subvalorizar gravemente a juventude açoriana se pensa que consegue assim apagar o seu silêncio e seguidismo em relação a todas as medidas dos governos socialistas. É que assim já não enganam ninguém.

1 comentário:

ZEZE disse...

Pelo que me apercebi a grande preocupação é a colocacao de maquinas de preservativos nas escolas, o mesmo é dizer aos jovens que se fo...