segunda-feira, 15 de junho de 2009

democracia socialista (versão juvenil)

Depois de ter sido eleito com 97% dos votos, Berto Messias vê a sua moção estratégica aprovada por unanimidade no congresso da JS Açores.

É, de facto, de fazer inveja a Kim Jong Il! Apesar de atirar para o ar muitas críticas às juventudes partidárias que, depois de processos de discussão que duram meses, conseguem construir consensos expressivos em torno de programas redigidos colectivamente, os delegados ao congresso da JS aprovaram obedientemente um documento que parte apenas da cabeça do líder indigitado e que têm um dia e meio para discutir e que, creio, nem pode alterar.

Democracias...

6 comentários:

Ricardo Ferreira disse...

Sim... Por acaso a JCP assim como o PCP são exemplos de democracias.

Basta olhar para os que foram expulsos por serem renovadores comunistas.

Tiago R. disse...

Está mal informado, caro Ricardo. Absolutamente ninguém foi expulso do PCP por ser renovador. E desafio-o a provar o contrário.

A única expulsão (desde há para aí uns 8 anos) foi a de Carlos Brito, por revelar publicamente o conteúdo reservado de reuniões dos organismos de direcção do PCP, contr o que são as regras conhecidas e voluntariamente aceites por todos.

Ricardo Ferreira disse...

Tem razão, não foram expulsos.

Foram ostracizados. Vai dar ao mesmo, só muda o nome.

Mas também me pode esclarecer uma coisa.

Num partido demcorático, porque razão se expulsa alguem por revelar as reuniões da direcção do partido? Segredo de Estado?

E já agora, porque razão nos cóngressos, o comité central se reune à porta fechada? O Partido não democrático e transparente?

O a deputada que lhe retirada a confiança política e que ainda hoje se arrasta pela Assembleia da República?

Tiago R. disse...

Meu caro:
Conece algum partido cujas reuniões dos órgãos dirigentes sejam públicas? Um único?

Uma correcção o Comité Central não se reúne nos "Cóngressos". É eleito nos congressos e, ao contrário do PS, o Secretário Geral não pode nomear membros. São mesmo todos eleitos.

A Deputada perdeu a confiança porque aceitou, como todos os deputados do PCP, entregar parte do salário, para não serem beneficiados pelo cargo que exercem. Só que, de repente, decidiu passar a abotoar-se com a massa toda. Portanto, talvez sirva para o PS...

Informe-se melhor.

Ricardo Ferreira disse...

Eu "coneço" o PS a nível concelhio, quando ainda estava em Penafial, que as reuniões eram fechadas, mas nunca ninguem foi expulso por falar das mesmas publicamente.

Coloco outra questão: Porque razão nunca existiu, que eu me lembre mais que um candidato a secretário geral do PCP. É que a crítica que faz, deixa de ter sentido, se o partido a que pertence entra no mesmo vício.

Quando Á Deputada, olhe que já ouvi explicações melhores e com mais imaginação por parte de camaradas seus.

Tiago R. disse...

O Secretário Geral do PCP é eleito pelo Comité Central (180 ou 170 membros, propostos pelas direcções regionais e pelos delegados ao congresso e eleitos em congresso por voto secreto, em sessão que não é pública - tratam-se de pessoas...)

Eu não critíco o facto de Berto Messias ter sido eleito com 97% dos votos. Mas agora ele que não critique os que conseguem semelhantes percentagens.

O que eu critico é mesmo a questão da moção de estratégia, que os delegados e militantes da JS não têm tempo para discutir e não podem alterar e que provam por UNANIMIDADE!