segunda-feira, 8 de junho de 2009

fugir para a frente



Perante os lamentáveis resultados do PS e a monstruosidade dos valores da abstenção Carlos César decidiu insistir na sua última ideia brilhante, e fonte garantida de sound-bytes, até a nível nacional, o voto obrigatório.

Demonstra com isto que nada quer perceber da profunda condenação que os açorianos fizeram às políticas do PS, na qual não pode deixar de estar abrangido o seu próprio governo. Nega as responsabilidades dos efeitos da sua ausência da liça eleitoral e procura distrair as atenções, com uma ideia que visa resolver "na secretaria" o problema da abstenção.

Um pouco de humildade na leitura dos resultados tinha-lhe ficado melhor do que esta desesperada fuga para a frente, lançando absurdas cortinas de fumo sobre as suas próprias responsabilidades políticas.

Sem comentários: