segunda-feira, 1 de junho de 2009

incómoda, incorrecta, acertada

A simpatia pessoal que temos ou não pela jornalista ou pelo seu estilo é completamente irrelevante. Manuela Moura Guedes diz coisas muito acertadas na sua entrevista ao Ionline:

"Este governo lida mal com a liberdade de informação. Mas a culpa é dos jornalistas. Se o governo estivesse habituado a uma comunicação social mais contundente, directa e que o confrontasse mais, ou seja, se a comunicação social fosse aquilo que devia ser, talvez o governo não apontasse o dedo a quem se limita a fazer jornalismo. Nós não fazemos mais nada além disso: fazemos investigação, mostramos casos que devem ser mostrados à opinião pública, fazemos aquilo que é normal fazer em qualquer país."

"Não fazemos as peças para criar incómodos ao poder. Enfim, os jornalistas têm de ser contrapoder. Faz parte! Temos de estar sempre lá, cuscar, roer as canelas, porque isso faz parte do jornalismo. Quanto mais responsabilidade tem um político, mais nós temos de estar atentos. Quem não pensa assim, está mal no jornalismo. Não é o "bota abaixo". É o alertar, pedir contas, desmontar a mensagem política. Eles [governantes] vão para lá e já sabem que isto tem de acontecer. Nós não podemos ser um eco, temos de ser o descodificador. Quem faz o contrário está errado e os políticos que não o entendam também."

5 comentários:

geocrusoe disse...

Não gosto da entação que ela utiliza, mas também é verdade que se distingue bem a notícia e o comentário dela. Por outro lado, o que ela e o jornal da TVI mostram, é a luta pela liberdade de expressão, em vez da maquilhagem das notícias na RTP, essas sim, subservientes ao poder político

XICO DA BICA disse...

Precisamos de mais duas a nivel nacional e metade de uma Moura Guedes na informação da RTP Açores

Ricardo Ferreira disse...

As palas ideológicas só podem justificar este tipo de opinião...

A própria jornalista é uma má colega, pois coloca sempre o seu comentário em reportagens de grande qualidade que volta e meia se vê.

Não é por agora estar com lugares comuns sobre o controlo que o governo exerce sobre a comunicação social que se livra da seu estatuto de péssima jornalista.

Tudo o que ela descreveu, não o faz. Não dá notícias isentas, não investiga, não faz de contra poder. Faz uma cincalhada acompanhada pelo VPV, que muitas vezes os dois revelam ignorância sobre os assuntos que comentam.

Ou por acaso acreditam que a investigação jornalistica apenas se realiza à sexta-feira?

Tiago R. disse...

Quanto a VPV, tem toda a razão.

Eu não sei se a Manuela Moura Guedes faz investigação. Sei que a TVI é o único canal que faz jornalismo de investigação digno desse nome. As peças do caso Freeport são bons exemplos.

JR disse...

Venha o diabo e escolha!