terça-feira, 28 de julho de 2009

a ideologia da socialização dos prejuízos


Mais um interessante artigo de Fernando Sobral no Jornal de Negócios, do qual retenho duas frases de grande lucidez que abordam uma questão fundamental.

A propósito dos problemas no sector bancário:

A propósito dos obscuros negócios com a Liscont no Terminal de Alcântara:

Revela-se, claramente, a falácia do suposto Estado-regulador, que afinal nada regula, limitando-se a encolher e a recuar para facilitar a criação de novas áreas de negócio para os mesmos grupos económicos de sempre. Perante o cenário que vivemos, esta é uma das questões mais importantes que os partidos políticos devem responder nestas legislativas: Que Estado queremos? E para quê?

Sem comentários: