terça-feira, 28 de julho de 2009

melhor negócio que a saúde, só o armamento


Mais um interessante artigo no E-Economia.info, desta vez sobre a continuação das parcerias público-privadas (PPP), desta vez com a Espírito Santo Saúde (quem disse que contar dinheiro todo o dia não dá saúde?) para a construção do Hospital de Loures.

O Tribunal de Contas e o insuspeito Guilherme de Oliveira Martins, já por várias têm apontado o resultado desastroso, quer em termos financeiros quer de resultados, destas parcerias para o Estado. Porque para os privados, é uma verdadeira mina de ouro.

É mesmo uma administradora do Grupo Espírito Santo que o reconhece, com uma frase verdadeiramente lapidar, daquelas que definem toda uma época:

3 comentários:

JR disse...

Nada que já não soubéssemos!

DR.PARDAL disse...

É pena que Portugal não tenha essa capacidade de produção e de exportação.

Nas ex-URSS, Checoslováquia e RDA, a indústria do armamento e a sua exportação é que equilibravam as respectivas "balanças de pagamento"..

Que o digam os antigos membros da KGB....que hoje são multimulionários!

O armamento vai ser sempre uma indústria "rentável" e já que alguém tem que o fazer, que façamos nós.

Preferiria que nós tivéssemos a bomba nuclear do que ela estar na mão dos outros.

É a vida, como diria o São Guterres...

Pedro Lopes disse...

Caro Tiago R.,

Ora cá está mais um post que prova que em certos assuntos não há ideologia que destrua a verdade ou turve o que quer que seja.

....até porque o negócio da saúde, também envolve drogas.