sexta-feira, 3 de julho de 2009

preparar a derrota

Em mais um artigo de opinião no Açoriano Oriental, Cláudia Cardoso começa a demonstrar a estratégia que o PS adoptará após a sua (inevitável?) derrota nas próximas legislativas.

E a estratégia é simples: culpar José Sócrates.

O problema, diz a deputada socialista, "é do seu estilo", que reputa de "arrogante" e dizendo que o seu acto de contrição, em entrevista à SIC foi "rídiculo", "artificial" e "tardio". Tal como no caso de Vital Moreira nas europeias, o PS já tem um bode expiatório para a sua próxima derrota eleitoral. Mais claro que isto não se pode ser.

Para CC o problema está na "forma", no "embrulho" e não no conteúdo das políticas. Há, portanto, um mero "problema de comunicação" com o povo português que, coitadinho, é acomodado, comodista e pouco inteligente.

Neste artigo, demonstra-se toda a confusão da derrota anunciada, toda a incapacidade de perceber o que é que falhou. E o que falhou não foi a comunicação. Não se trata de uma questão de forma. O problema está mesmo no conteúdo das políticas. O problema está na maneira como os partidos socialistas se distanciaram das suas raizes ideológicas históricas, seduzidos pelo canto de sereia do liberalismo triunfante. Agora que o liberalismo está de joelhos, perderam tudo: a história, a identidade, a visão do futuro e a capacidade de perceber o que é que correu mal.

Sem comentários: