sábado, 5 de setembro de 2009

provas


Este era o spot promocional que TVI tinha preparado para o relançamento do Jornal Nacional das sextas-feiras (que roubei desavergonhadamente ao Fiat Lux). Depois disto ainda haverá quem acredite que se tratou de uma decisão "de gestão"?

Quanto à reportagem sobre o Freeport emitida ontem, ainda falta que Manuela Moura Guedes, e apenas ela, venha confirmar se se trata efectivamente da famosa reportagem anunciada, ou se foi servida aos espectadores uma versão "higienizada".

Perante isto tudo, quantas provas mais serão precisas para se perceber o que se passou, de facto?

8 comentários:

Anónimo disse...

Esta decisão da administração da TVI só traz beneficios à oposição.

Como se sabe, MMG no jornalinho da TVI não fazia jornalismo. Julgava pessoas em frenta às câmaras, tomava partido e atacava quem não gostava! O código deontológico era sistemáticamente desrespeitado.

Depois daquela desanca do Sr. Bastonário, MMG perdeu credibilidade. Os olhos de quem a via passaram a ser outros. Afinal.... .
E que melhor caminho do que a vitimização?
E que caldinho melhor do que o período eleitoral?
E que alibi melhor do que ter sido eleita inimiga do PS?
E que fogaça melhor do que uma oposição sempre ansiosa por um escandalo?

Que lucro teria sócrates em induzir a saida de MMG?
Nenhum.
Faria-o então porquê?

Que lucro teria a oposição na saida de MMG com a aparência de pressão secreta de Sócrates?
Todo.
E porque não o fazer?

Que lucro teria MMG em sair dando a ideia de pressões do PS?
Todo.
Saia em grande como vitima, com os aplausos da oposição e promessas para o furturo.

Tiago R. disse...

Esta decisão da administração da TVI só traz beneficios ao Governo.

MMG practica um jornalismo polémico, contundente, mas sem que ninguém consiga apontar UMA ÚNICA violação concreta do código deontológico dos jornalistas.

Que lucro teria sócrates em induzir a saida de MMG?
Silenciar revelações embaraçosas sobre o Freeport e, sobretudo, mostrar a todos os jornalistas que, falando nesse assunto, ninguém estaria seguro.

Que lucro teria a oposição na saida de MMG com a aparência de pressão secreta de Sócrates?
A oposição não vai almoçar com Zapatero e com os patrões da Prisa.

Que lucro teria MMG em sair dando a ideia de pressões do PS?
Não faço ideia, mas que parece que vai ficar sem emprego, isso parece.

Porque é que os comentadores do PS nunca, mas nunca se identificam? É que tantos bloggers do PS criticam os comentários anónimos... Não tenha medo, que eu não persiguirei pelas suas opiniões!

Tiago R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

MMG chamou em frente às camaras - bufo - ao Sr Bastonário.

Se isto é deontológico, estamos muito mal.

Anónimo disse...

Eu não sou comentador do PS nem de coisa nenhuma.
Tenho as minhas ideias e não tenho medo de as expor.

Quem deve averiguar e julgar o caso Freeport são as autoridades indicadas para isso: polícia, judiciária e tribunais.
Não são estações de TV nem jornais, nem jornalistas.

Quem ganhou com isto foi a oposição.
Quem perdeu com isto foi Sócrates.

Será que Sócrates foi assim são parvo para pressionar a demissão, em pleno período eleitoral, só porque uma jornalista lhe era hostil? Porque não o fez antes?
Será que Sócrates não antevia o berreiro que se iria seguir?

Esta saída de Moura Guedes das duas uma: ou foi pressionada pela administração, farta do jornalismo polémico da apresentadora e a antever futuras complicações, ou foi pressionada por certa oposição, em plena campanha eleitoral, que antevia ter tudo a ganhar.

Até prova em contrário....

Tiago R. disse...

Se não tem medo de assumir as suas ideias, assuma a sua identidade. Se tem medo por causa do clima de perseguição criado pelo PS, eu percebo-o perfeitamente.

O Sr. Bastionário é um caça-publicidade de quem os próprios advogados anseiam livrar-se.

Acha que a se a decisão de afastar MMG foss uma decisão de gestão devidamente ponderada teriam aprovado este spot uma semana atrás?

Até prova em contrário claor que José Sócrates será inocente. Mas também é claro que já há bastante tempo que não reune condições para ser 1º Ministro. Isto, se para os socialistas a dignidade contasse para alguma coisa...

Anónimo disse...

Meu caro Tiago

O PS ganhou como se sabe as ultimas eleições. Votamos um parlamento, que suporta um governo e naturalmente um primeiro ministro.

Este governo foi escolhido maioritáriamente pelos portugueses e tem por isso toda a legitimidade para governar até ao fim da legislatura.
Democráticamente, merece o nosso respeito, porque foi a escolha da maioria.

Não será assim?

Quanto ao anónimato ou não.
Não tenho problema nenhum em identificar-me. Não tenho medo de ninguém me perseguir.
Vivo num país que felizmente é democrático, onde as opiniões de todos contam.

Não vejo é grande relevância nisso. Ser o João, o Manuel ou o Francisco tanto faz.
O que interessam são as ideias e a forma responsável como se opina.

Tiago R. disse...

O PS foi eleito com base num determinado programa eleitoral, que tinha a obrigação de cumprir. A partir do momento em que faz o contrário do que prometeu, perde toda a legitimidade e, um bom presidente da república, teria dissolvido a AR, com base neste facto.

Identifique-se ou não, é lá consigo. Não será por isso que darei mais ou menos valor à sua opinião.