domingo, 18 de outubro de 2009

a guerra suja do PSOE

Bascos protestam contra a prisão de vários dirigentes nacionalistas

A impressionante fotografia respeita a uma manifestação ontem realizada em San Sebastián, que reuniu todas as centrais sindicais e os vários partidos nacionalistas, incluindo o PNV, para exigir a libertação de vários ex-dirigentes do Batasuna e líderes da esquerda nacionalista, cuja prisão foi recentemente ordenada pelo juiz Baltasar Garzón.

Aqui mesmo, ao nosso lado, a democracia é ainda uma coisa difícil. Apoiado por instituições politicamente dóceis, como o Tribunal europeu dos Direitos do Homem, Garzón continua a sua cruzada contra todas as manifestações do nacionalismo basco, especialmente as de esquerda, que automaticamente rotula de "terroristas".

Ao impedir a criação de uma organização política legal dos nacionalistas, o Estado espanhol condena-se à continuação do conflito armado. Um erro de enormes proporções e pelo qual inocentes continuarão a pagar com a vida, a prisão e a privação de direitos humanos básicos. É que nem sequer se trata de defender a unidade do Estado, pois mesmo ao lado, na Catalunha, discute-se abertamente a realização de um referendo sobre a independência. E já não se discute a possibilidade, discute-se a data!

A paz só poderá nascer do diálogo democrático. Ao impedir a criação de um partido "abertzale", o PSOE, sob a sua aparência de mansa esquerda moderna, empenhada nas causas fracturantes, como o aborto ou os casamentos homossexuais, procura a continuação de uma guerra suja, embora de baixa intensidade, contra o Povo Basco.

6 comentários:

Bizante disse...

bizantinicesonline.blogspot.com

Tiago R. disse...

Não me importo que use a minha caixa de comentários para divulgar o seu blogue.
Mas é pena que você não autorize comentários. Ao diálogo prefere o monólogo. Lamenta-se.

geocrusoe disse...

Concordo com a ideia "impedir a criação de uma organização política legal dos nacionalistas, o Estado espanhol condena-se à continuação do conflito armado".
Mas embora eu nunca tenha sido separatista, conheço alguns e sou amigo deles, por norma são de direita.
Já agora, está de acordo que em Portugal possam existir partidos separatistas, nomeadamente a FLA?
Não vale a pena invocar a ideia que somos uma única nação, estou a falar apenas de um grupo que defende uma solução diferente para os Açores, a Autodeterminação, que como disse discordo.

Tiago R. disse...

Existem, e são muitos, os separatistas Bascos de esquerda. Os de direita, creio, agrupam-se na sua maior parte em torno do PNV.

Não, não sou contra por princípio que existam partidos que defendeam soluções de soberania diferentes para os Açores, como para outras regiões. Desde que mantenham a sua actuação dentro da legalidade, ao contrário do que fez a FLA.

geocrusoe disse...

desta vez estamos de acordo, embora saiba que outras vezes também haveremos de estar.

Ricardo Ferreira disse...

Pena que o Juíz em causa também tenha tentado prender Pinochet, esse grande líder de esquerda...

Enfim...