terça-feira, 27 de outubro de 2009

heranças e maus começos


Concretizando um sonho antigo da cidade da Horta, formalizou-se finalmente a aquisição do edifício do Banco de Portugal, há muito desactivado, para a instalação de um centro de artes / equipamento cultural.

Por muitas voltas que se tente dar ao texto, a realidade é iniludível: foi necessário ter na Câmara da Horta vereadores da CDU para enfrentarem as velhas e arreigadas resistências e desconfianças do PS e PSD para que este antigo projecto se concretizasse.

A nova Câmara recebe assim uma herança que terá de saber dinamizar. Importa agora dar uso ao edifício e pô-lo ao serviço dos faialenses. Teremos uma vereação capaz de o fazer? É que se Rui Santos é um homem com créditos firmados e obra consolidada na área do desporto, do qual foi Director Regional até ser eleito vereador, a verdade é que na cultura ainda tem tudo para provar. Os faialenses cá estarão para observar e exigir.

Uma nota negativa para o site da Câmara Municipal da Horta: 5 dias depois da tomada de posse ainda não tem disponível informação sobre os vereadores eleitos. Posso perceber que os pelouros ainda não tenham sido distribuídos, mas não percebo que não se publique, pelo menos, a sua identificação. Não basta ter "Confiança no futuro". Também é preciso acção no presente.

4 comentários:

geocrusoe disse...

Não sei se era necessário ter a CDU na vereação para que a CMH adquirisse o imóvel, penso que foi uma boa oportunidade que surgiu. sei que os vereadores da cdu estavam a favor, nunca ouvi que os do ps estivessem contra e sei da desconfiança de alguns sectores associados ao psd, minoritário e na oposição há 20 anos, embora eu tenha deixado publicamente escrito que era a favor... espero que lhe dêem bom uso.
No resto estou plenamente de acordo

Tiago R. disse...

Efectivamente não vale muito a pena andar a discutir o como é que teria sido se a CDU não estivesse lá.
Mas importa registar que, mais do que estar de acordo, foram os vereadores da CDU que fizeram a proposta e a concretizaram.
Também espero, ou melhor, como cidadão, exijo que lhe dêm bom uso.

Anónimo disse...

Meu caro Tiago R.
Como está completament enganado.

Tiago R. disse...

Caro Anónimo:
Diz isso só porque lhe mandaram dizer, ou tem mesmo algum fundamento a apresentar?