sábado, 16 de janeiro de 2010

Orçamento: une valse à trois temps


A notícia é reveladora da forma como este governo sobrepõe o tacticismo político (e o objectivo do enfraquecimento do PSD) a todo o projecto político, a toda a orientação ideológica. Sobretudo demonstra que há muito que José Sócrates não tem qualquer ideia política concreta para Portugal, tem apenas apego ao poder.

Tendo todas as condições para governar efectivamente à esquerda, o PS prefere antes construir entendimentos à direita. É uma linha de actuação que conhecemos bem aqui nos Açores, em que o CDS-PP é tantas vezes a pequena cereja no bolo socialista.

Depois do tempo da "abertura ao diálogo", seguido pelo tempo da vitimização, chegamos finalmente ao terceiro tempo na valsa do orçamento socialista: rodar para a direita! Tão fácil como 1, 2, 3. 1, 2, 3!

20 comentários:

João Cunha disse...

É este tipo de "permissividade" que me preocupa num governo de minoria. Dias atrás o diálogo com o PSD era o caminho a seguir, agora é a vez do CDS "merecer" a atenção do PS.

Não vejo como a diluição ideológica que tem marcado esta legislatura pode trazer algo de bom ao partido.

Anónimo disse...

Os ratões do CDS-PP, incluindo o espertalhão local, vão vivendo disso:ora palmadinha nas costas ora ponta pé no cu.
E há que ache graça.

A CHISPA ! disse...

Politica Dura
"José Sócrates não tem qualquer ideia politica para Portugal?"
Qual é o Portugal a que se refere? Pelo menos nos últimos quatro anos e agora também,como por exemplo aconteceu no último Orçamento Rectificativo e agora para o próximo, que "tem" ideias para continuar a servir a classe capitalista e continuar a fazer uma politica anti-social.
Agora sendo o P"S" um partido de direita,como é que quer que faça uma politica de esquerda? Os partidos à sua esquerda é que não podem continuar a conciliar e a fazer o jogo do governo,como aconteceu,no início desta legislatura que não tiveram a coragem sequer de lhes apresentar uma MOÇÃO de CENSURA, sabendo de antemão que a sua prática politica ia ser a da legislatura passada,ou ainda ABSTEREM-SE no Orçamento Rectificativo, quando este,promove ainda mais, o Déficit Público e a Divina Externa (que depois obrigarão o povo a pagar)e oferece a A.J.Jardim uma prenda de natal de 76 milhões de euros.
Como podem os ditos partidos á esquerda do P"S" dizerem que estão contra as politicas do governo, quando agora aplaudiram o "acordo de principios" entre o ME/direcções sindicais,quando este é um RETROCESSO em relação ha anterior legislação e uma perda de direitos e de dignidade na classe docente.
Politica "Dura", já é tempo de abrir os olhos e pensar melhor!
Por fim informo-o que "achispavermelha.blogspot.com" e "classecontraclasse.blogspot.com" publicaram vários textos sobre estes acontecimentos recentes,assim convidamos a visitar-nos e a dar a sua opinião.
Saudações comunistas
"A CHISPA!"
"jotaluz@gmail.com"

Tiago R. disse...

Caro "Chispa":

A questão não é simples, de facto, nem tenho qualquer espécie de ilusões sobre que interesses serve José Sócrates. O que quis dizer é que ele está cada vez mais "entalado" entre a necessidade de servir esses interesses e a crescente pressão política e social.

Pressão social que já conseguiu obter o que são objectivamente vitórias como o acordo com os professores. Estando ainda atrás de outras situações anteriores, tratou-se dum passo. Não o último passo, mas definitivamente um passo em frente.
É que, sabe, para nós comunistas as coisas são mesmo muito mais complicadas do que um mecânico "quanto pior, melhor". O nosso povo quer soluções agora.

A CHISPA ! disse...

A politica "dura" não tem qualquer espécie de "ilusão" mas nunca deixa de desejar um acordo à "esquerda", quando o PS não o pode fazer, porque é de direita,mas mesmo que esse acordo fosse feito, deixando o governo cair uns paliativos, essa politica seria sempre de direita e a provar esse facto está a ABESTENÇÃO, do PCP,no Orçamento Rectificativo quando este é um Orçamento de direita.
Quanto à "vitória" dos professores e há dita pressão social, que o governo está a enfrentar,recomendo-lhe que reflita profundamente nas últimas afirmações de Sócrates no parlamento:"Todos se lembram da exigência que acabasse a avaliação e não foi esse o resultado:Avaliação está feita e vai continuar,com quotas,como ficou aprovado, que é a única que destingue o mérito e desmpenho". Sócrates não só teve mais uma vitória, com inclusivamente se dá ao luxo de gozar com os professores.

"A CHISPA!"

Miguel disse...

Caro Chispa, tendo em conta que é o PS que foi eleito e está no Governo e não outro partido qualquer, eu prefiro-o que desvie a sua política para uma convergência com os partidos da esquerda do que com os partidos da direita.

Quanto aos professores, a realidade é esta: foi o PS foi eleito para Governar. Que se há-de fazer. Acho uma grandessíssimo avanço as conquistas dos sindicatos, a adesão que tiveram por parte de todos os professores e a prova de que lutar vale a pena. Foi perfeito? Não foi. Não há nada perfeito neste mundo, mas estaríamos mais próximos da perfeição se estivesse o PCP no poder e estas luta seria desnecessária. Mas repare: não está. Há que fazer o possível com os meios que temos.

Saudações comunistas

A CHISPA ! disse...

Não se trata de "preferir",porque isso não está nas suas mãos, mas sim nas mãos do governo, mas de combater as politicas do governo dentro e fora do parlamento, não fazer acordos como o que foi feito na educação para resfrear a luta aos trabalhadores e criar assim condições de governabilidade ao governo,indo assim atrás da chantagem do governo, quanto à ingovernabilidade.Nem Abster-se em Orçamentos que favorecem a classe capitalista e não garantem coisa nenhuma aos trabalhadores.
Miguel,"um grandessíssimo avanço" quando se trata de um Retrocesso nos direitos conquistados? Miguel você está completamente ganho, para não resistir as politicas do governo,por pior que elas sejam.
Por fim, não se esqueçam de visitar a "achispavermelha.blogspot.com" e analisem os seus textos,hoje entrou um sobre a gloriosa data do movimento proletário português, o 18 de Janeiro de 1934. Comentem e dêem a vossa opinião.
"A CHISPA!"

Miguel disse...

Caro Chispa

Fui bastante claro no que toca a às políticas do Governo. Se acha que mesmo assim "estou ganho para não resistir" é sinal que não percebeu muito bem o que escrevi. Nem tão pouco a minha ideologia política. Relembro-lhe que as propostas iniciais do Governo estavam a milhas deste que veio finalmente a ser aprovado. O progresso foi demais notório, o suficiente para serem considerado um grande ganho. Repito: não é perfeito, não é bom, não é melhor. Mas é o que foi possível aqui e agora, com as forças que temos hoje, para impedir o desmantelamento da escola democrática. Porque não podemos inventar forças por muita vontade e sangue na guelra que tenhamos; mas podemos usar essa motivação para ganhá-las, ganhando as pessoas.

Ou acha possível que viesse a ser assinado um acordo SÓ com as reivindicações dos sindicatos? Gostava? Óptimo. Eu também eu gostava. Mas ambos sabemos que isso era impossível. As revoluções são um processo, resistir é um processo, lutar é um processo. Não se consegue tudo de uma vez.

A CHISPA ! disse...

Quer dizer "foi uma vitória da luta de 4anos" com uma classe em peso na RUA, agora não havia força para mais?
Pois é, as revoluções são um processo, a resistência também, agora parar o movimento quando novas condições favoráveis estavam criadas é fazer os "processos" andar para trás e o jogo do governo. Ou já não foi a luta dos professores,que contribuiu para o enfraquecimento do governo, então porque não continuar a luta quando o inimigo se apresenta mais dibilitado?
Caro Miguel
O que esteve em causa, foi não criar ondas, que podessem por o governo e a sua politica em causa,ou que outros sectores profissionais não o tomassem como exemplo.
Não é por acaso que todos os partidos da "oposição" se congratularam com o "acordo",o P"SD" e o C"DS" inclusivamente reivindicaram a sua quota parte.
Não acha estranho?
Quanto à sua resistência às politicas do governo, mantenho as minhas razões,não é com politicas reformistas e de cedência permanente, que faz avançar qualquer PROCESSO e sendo assim,você não está preparado para resistir,seja aquilo que for.

"A CHISPA!"

Tiago R. disse...

Caro Chispa:
Demonstra não perceber muito bem o que é a actual relação de forças de classe, que está ainda distante dos nossos desejos e que com eles não pode ser confundida.
É em função dessa realidade que se constroi uma tática eficaz, não em função de arquétipos históricos.

Anónimo disse...

Isto mostra coisas muito claras: o PPD/PSD é mais esquerdoide do que o próprio PS, o CDS-PP é como as putas, vende-se ao que mais dá, o PCP está moribundo, andando a reboque de ex-MES, ex-UDP, ex-trotsquistas e ex-marxistas leninistas.

Tiago R. disse...

Caro Anónimo:
Neste quase um ano de vida deste blogue ainda não apaguei nenhum comentário, mas estou perfeitamente pronto a começar.
Aqui discute-se. Não se insulta. Nem mesmo o CDS-PP.
portanto, modere a sua linguagem!

Anónimo disse...

Pronto.
O comportamento do CDS-PP é inocente.

Tiago R. disse...

Não, não é.
Mas merece à mesma uma adjectivação mais cuidada. Só isso.

DR.PARDAL disse...

Eu bem avisei.
Para coisas alegadamente fracturantes (tipo casamento gay e outras futilidades) o Sr.Sócrates alia-se à esquerda (foi um erro colossal o PCP ter apoiado o projecto socialista desse tal «casamento»); para malhar nos trabalhadores e entregar mais benefícios aos bem instalados da vida, alia-se à Direita.

E ainda vão querer impingir o «camarada» Alegre!

O camarada Jerónimo ainda não conhece o ratão do Sokas?

Nesta onda o PCP vai tornar-se um satélite do BE!

Anónimo disse...

Mudo a adjectivação.

O CDS-PP é uma senhora séria, da sua casa e da sua familia.

Tiago R. disse...

Muito bem. Assim, sim!
;)

Anónimo disse...

Pois.
Mas tem às vezes uns amigos coloridos!

Anónimo disse...

Pois.
Mas tem às vezes uns amigos coloridos!

A CHISPA ! disse...

Caro Tiago R.
Dis-me que eu "demonstro não perceber a actual relação de forças e que esta está ainda distante dos nossos desejos" Para perceber que a actual relação de forças nos é desfavorável,basta verificar como as politicas do governo são aplicadas e não haver uma resposta firme e consequente por parte dos trabalhadores,apesar de muitas vezes os trabalhadores quererem ir mais longe nessa resposta,que permanentemente ao longo dos 35 anos que levamos de
democracia burguesa, as Direcções Sindicais a tenham sabotado devido ao seu reformismo,e que ficou bem patenteado agora com o "acordo de principios" negociado com o ME,quando havia todas as condições,repito, todas as condições para prosseguir a luta e conseguir-se a rejeição do objectivo principal do governo,acabar com as promoções AUTOMÁTICAS e assim reduzir os custos com o ensino,condições essas que residem na vontadede lutar dos professores e pela falta de maioria absoluta por parte do governo.
A acumulação de forças a fazer-se só pode ser neste momento se os trabalhadores forem mobilizados em torno dos seus interesses concretos imediatos,e não pelo desmobilizar ou fazer acordos negativos contra os interesses dos trabalhadores. Ou ainda se propôr iniciativas de melhoramento das medidas mais GRAVOSAS do CÓDIGO do TRABALHO,que ontem foram rejeitadas pelo PS,PSD,CDS,concordando com tudo o resto, quando este código na sua totalidade,prevê acabar com todos os direitos dos trabalhadores e reduzir os custos de produção com o trabalho vivo, na ordem dos 50%.
São este tipo de iniciativas,ditas de melhoramento dos aspectos mais GRAVOSOS que dão cobertura à politica reacçionária e anti-social do governo e que não contribuem para o ACUMULAR de FORÇAS que é preciso criar,e é isto que o Miguel,o Tiago R.e ouros terão que fazer um esforço por compreender,porque senão há medida que a legislação laboral e outras vão piorando,vão defendendo as anteriores que também já são reacçionárias. Exemplo:Antes estava-se, contra o código Bagão Félix hoje está-se,contra as medidas mais gravosas do actual diploma,que agrava o de Bagão Félix.


Por fim espero que visitem a "achispavermelha.blogspot.com" e também "classecontraclasse.blogspot.com"
e façam os vossos comentários.

"A CHISPA!"