terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

100 dias

Como bem diz o Samuel, a vantagem de assinalar os 100 dias de governo é principalmente a de lembrar-nos quantos dias ainda faltam para que se vão finalmente embora.

Mais do que um governo de projecto, com um programa para cumprir, temos um governo de bombeiros, ocupados a apagar os diversos fogos políticos que por pouco custavam o poder ao PS.

Mais do que um partido legitimado por uma maioria, embora relativa, temos uma equipa governativa de combate, a gerir dossiers a quatro anos, sempre com o pé no acelerador da dramatização e da crispação institucional.

Mas, sobretudo, temos 100 dias de velhas receitas que não anunciam nada de novo para o restante mandato: redução dos salários, obsessão pelo défice, privatizações, escândalos, pressões sobre os média. E nem as poucas medidas "fracturantes" aprovadas até agora conseguem ocultar que José Sócrates continua a governar como sempre o fez: à direita.

Em 100 dias, afinal, o que mudou?

1 comentário:

ilhas_de_bruma disse...

Pelo menos, ficamos a saber que já faltou mais...