sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

a miséria da modernidade


Continuar a reduzir os salários dos funcionários públicos e alargar a fatia deles que, actualmente, já sobrevivem abaixo do limiar da pobreza é que é moderno!

Já se sabe que em dia de manifestação é suposto um membro do Governo vir tentar menorizar as reivindicações dos manifestantes, mas o insulto à inteligência tem limites. O SEAP precisa mesmo de arranjar uma nova cassete. Se se trata de "dar o exemplo", porque não começamos por reduzir o salário e mordomias do Senhor Secretário de Estado e membros do governo? Isso é que era mesmo moderno!

2 comentários:

geocrusoe disse...

Eu até nem me chocava com o congelamento salarial na função pública, sobretudo nalguns vencimentos maiores, mas ao ver tanto desperdício e abusos de quem está no poder, como posso acresitar e aceitar o argumento de que o meu sacrifício é para enfrentar a crise?

Anónimo disse...

Vamos todos contribuir para a pândega madeirense.