quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

temos geração

Milhares de estudantes do Ensino Secundário, em todo o país, saíram hoje à rua.

Entre as suas reivindicações avultam temas importantes como as interferências dos Conselhos Executivos na autonomia das Associações de Estudantes, a recusa da privatização das cantinas e outros serviços escolares, o draconiano código de faltas do Estatuto do Aluno e, imagine-se, num país europeu, no século XXI, a efectiva implementação da educação sexual nas escolas, aprovada há anos, prometida há décadas, mas sempre adiada.

Contra o conformismo instalado, contra a decepção, o abandono, a deserção da esfera pública, uma nova geração de portugueses levanta-se para melhorar o seu país, para lutar pelos seus direitos. Na bagagem, muita juventude, um punhado de causas e muita certeza da sua razão. Ensinam-nos, esta grande responsabilidade de sermos cidadãos - e tantos deles ainda nem o são de pleno direito. Hoje quem nos deu uma lição foram eles.

3 comentários:

Anónimo disse...

Com os meios que hoje se põe à disposição do "meninos" tinhamos sido todos doutores.

Anónimo disse...

Pois temos.



Desde quando é que gente que maltrata professores, destroi equipamento escolar e tenta rebentar com o sistema, é "geração" para alguma coisa?

Vão mas é estudar, malandros.

Tiago R. disse...

Lembram-se dos nossos pais dizerem exactamente a mesma coisa sobre a nossa geração? De nos insultarem nos jornais como sendo a "geração rasca"?

E também não tinham razão, nessa altura.