quinta-feira, 25 de março de 2010

obviamente demita-se


Há mais de um ano atrás, perguntava neste blogue para que é que servia o Secretário Regional ter assento na comissão Bilateral do Acordo da Base das Lajes se os americanos continuavam a ciolar impunemente o Acordo, nomeadamente em termos dos aumentos salariais devidos aos trabalhadores. O tempo trouxe-me a resposta.

Porque afinal o papel de André Bradford na comissão Bilateral foi o de oferecer à parte americana (em troca de quê?) todas as vantagens e benefícios, enquanto desistia de todos os interesses da parte portuguesa. Conseguiu acabar com o benéfico sistema de aumentos salariais, aceitou que os americanos pagassem apenas 250.000 dólares em troca dos 15 milhões de euros devidos aos trabalhadores, não criou um sistema eficaz de resolução de conflitos laborais, não garantiu um contingente mínimo de trabalhadores portugueses, que são cada vez menos, entre outras questões. Agora já percebo para que é que serve. E não é, definitivamente, para defender os interesses dos Açores. Portanto, obviamente, demita-se!

3 comentários:

Anónimo disse...

A "máxima" dos sindicatos "salário igual para trabalho igual" não se aplica nas Lajes.
Como se sabe, e quem não sabe devia informar-se, na base ganha-se quase o dobro do que se ganha cá fora, para funções identicas.
Mesmo assim não estão contentes.
Como se sabe, e quem não sabe devia informar-se, quem roubava cá fora era ladrão, quem roubava na base era esperto.
Como se sabe, e quem não sabe devia informar-se, há gente séria que trabalha na base, motivo de orgulho de todos, mas há também muita canalha, que esfrega o nome de Portugal na lama.
Como se sabe, e quem não sabe devia informar-se, há quem queira ocupar o lugar de quem vem os sindicatos pedir a demissão, e que, usa os poderes mediaticos que tem, para mexer cordelinhos.

Temos todos olhos na cara.

Tiago R. disse...

A máxima do salário igual aplica-se, sim. Só que não é nivelando por baixo. É aumentando o salário dos restantes.

Gente desonesta não merece trabalhar em parte nenhuma e são os sindicatos os primeiros a exigir dos trabalhadores o cumprimento dos seus deveres.

Não me interessa se há, ou não, alguém que queira o lugar de André Bradford. o que é certo é que ele não demonstra competência para o ocupar.

Anónimo disse...

E porque é que não tem competencia?
E quem é que tem competência?

Há gente que, para servir propósitos pessoais, não exita em por o barco no fundo.

Desgraçados dos trabalhadores, que vêem o seu trabalho perigar, por doidura de jornalistas e irresponsabilidade de sindicatos.