terça-feira, 20 de abril de 2010

175 anos é muito tempo

O Açoriano Oriental comemorou, este passado domingo, 175 anos de existência. É muito significativo que o mais antigo jornal português seja açoriano e ensina-nos uma lição sobre estas ilhas e o seu povo.

175 anos é muito tempo. Sobretudo acrescenta à respeitabilidade da informação e à expectativa de quem a lê e, logo, à responsabilidade de quem a faz. Não quero, ao assinalar o aniversário do AO, relembrar os momentos menos bons, que os tem havido, até porque os directores e os políticos vão e vêm. Fica, o papel incontornável, de um jornal na história de uma Região. Fica a teimosia empenhada de quem todos os dias faz das tripas coração para pôr o jornal na rua. Este aniversário é deles.

4 comentários:

Attac Portugal disse...

O Política Dura estaria interessado em ser um blogue solidário com a iniciativa “Cartada contra a privatização dos CTT”? Trata-se de uma iniciativa da ATTAC Portugal. Ver mais informação em www.correiopublico.net/ ou no evento no Facebook

Divulgar este evento seria já uma preciosa ajuda.
Para receber informações regulares da iniciativa e ir divulgando outras actividades que se desenvolverão, confirmar disponibilidade para attac@attac.pt

Abraço

Anónimo disse...

Caro Tiago

Acaso vestiu o popular fraque para o "baile de gala"?

Tiago R. disse...

Não... :(
Infelizmente nesse fim de semana tive de vestir o fato-macaco operário para o congresso do PCP.
;)

Anónimo disse...

As classes médias pequeno-burguesas* são assim.
Gostam de imitar os ricos, imaginando que estes passam a vida de fraque em bailes de gala.

Mil vezes um fato macaco sujo!


* Bancários e ex-bancários, sargentos e ex-sargentos, sub-chefes e ex-subchefes, e ainda outras criaturas que há 30 anos atrás andavam de jirico.