quarta-feira, 8 de setembro de 2010

democracia policial


Não é novo mas continua a ser mau sinal. Os processos disciplinares, transferências forçadas e promoções adiadas sine diae são lugar comum entre os polícias que procuram melhorar a sua condição e situação socio-profissional, especialmente entre delegados e dirigentes sindicais. As condições laborais que os agentes enfrentam são verdadeiramente pavorosas. Para além do afastamento a que são forçados das suas famílias (pelo menos no início da carreira), são dos mais mal pagos da Europa, trabalham sem equipamento adequado em esquadras e quarteis sem condições e, tantas vezes em turnos de 12 (doze!) horas consecutivas, numa tarefa difícil, exigente e sempre sob a pressão e a crítica (nem sempre justa) da opinião pública.

Perante isto, a aspiração de melhorar estas condições é mais do que legítima, é justa e até necessária para que tenhamos um corpo policial eficiente e motivado. Assegurados os serviços mínimos (que ninguém contesta), não há absolutamente nenhuma justificação para lhes bloquear o direito à greve. É que os nossos polícias também são cidadãos e a legalidade democrática que têm por missão proteger também tem de se lhes aplicar.

6 comentários:

Anónimo disse...

então como explica que a lei que proibe a greve tenha tido o voto favorável do PCP?

Anónimo disse...

Policias em greve.
E quem é que garante a segurança interna?
Alguém foi ou é obrigado a ir para a policia? Não foi de livre e espontanea vontade, ciente da especificidade da carreira?
Tá bonito, tá.

Militares se calhar em greve.
E quem é que garante a segurança externa do país?
Tá bonito tá.

Anónimo disse...

Então Tiago, não respondes?

O PCP votou ou não a favor da proibição de greve pela PSP?

Estou farto de demagogia, quero saber a resposta.

Anónimo disse...

afinal o pcp é contra a proibição de greve ou a favor? fiquei com a dúvida

Anónimo disse...

Depende.
Depois do que disse hoje o camarada Fidel, tudo é de esperar.

Então o comunismo cubano não é exportável, porque nem na ilha funciona?

E os que deram por isso à mais tempo, e perderam a vida nas balsas?

Anónimo disse...

descretos foram os que se meteram a milhas da ilha.

tão o pcp votou ou não a favor da proibição de greve?