quarta-feira, 1 de setembro de 2010

um pouco melhor

A Assembleia Legislativa Regional tem finalmente uma delegação na ilha do Corvo.

Foram precisos 34 anos de Autonomia para que o Parlamento Regional estivesse finalmente presente em todas as ilhas dos Açores.

Num momento em que assistimos a uma tentativa de crescente governamentalização do poder regional que é, na letra da lei e no seu espírito, puramente parlamentar, a proximidade do Parlamento aos cidadãos é de grande importância. Claro que tudo continuará a depender dos deputados das ilhas, da sua qualidade e empenho em defender a comunidade que os elegeu. Mas tanto no plano prático como no simbólico este é um marco importante no sentido de termos nos Açores uma democracia melhor.

PS: uma vitória clara para o Deputado do PPM, Paulo Estêvão que, embora por vezes com o excesso de dramatismo que a espaços o caracteriza, se empenhou decididamente nesta questão. E muito bem.

3 comentários:

Anónimo disse...

O parlamento regional nunca esteve tão desacreditado como está hoje.
Há gente lá com nível. Com utilidade pública. Que traz mais valias aos açorianos.
O Deputado Anibal Pires, honra lhe seja feita, é um exemplo disso mesmo.
Não sou comunista e não votei nele. Contudo acho que a sua voz é importante e necessária.
Porque critica de forma eficaz, pondo a tónica no interesse de todos, mas também sabe elogiar, quando o trabalho dos outros merece.
Vê-se que é uma pessoa que está ali com um propósito: contribuir para melhorar o que temos menos bom.
O Deputado Paulo Estevão e os outros do CDS são a antitese disso mesmo.
Só se lhes houve criticas.
Raramente tem ideias.
Não estão ali pelo interesse público mas pelo seu partido.
Isso é, do meu ponto de vista, tudo o que a politica tem de mais de detestavel.

Tiago R. disse...

Só uma precisão:
O Deputado Paulo Estêvão é do PPM e (já) não do CDS.

Quanto à descredibilização do Parlamento se, em boa parte, é de facto responsabilidade (ou falta dela) por parte de muitos deputados eleitos, a verdade é que também há uma boa dose de responsabilidades do Governo Regional, que tudo faz para o esvaziar, para o converter num órgão inútil. Com a colaboração activa dos deputados do PS, claro!

Anónimo disse...

A descredibilização do parlamento deve-se a vários factores comuns à grande maioria dos deputados (de todas as cores politicas).

Ser oposição não é criticar sistematicamente, desmerecendo muitas vezes o trabalho sério de quem governa. Uma oposição que só sabe deitar abaixo, não merece crédito.

Um deputado que só diz bem do governo e canta loas aos chefes, nao vislumbrando coisas naturalmente menos boas, não merece crédito.

Um deputado que não é humilde, e pensa que por ter sido eleito "sabe tudo" acaba sempre em burro em toda a parte.

Um deputado que faz ataques pessoais, para escamotear a falta de ideias e descarregar frustações, não merece crédito.

O deputado Anibal Pires, tem conseguido fugir a vestes defeitos.