segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Autonomia para lá das palavras


A actual Constituição já o permite e o actual Estatuto já o prevê. No entanto, PS e PSD nunca tiveram grande interesse em regulamentar os referendos regionais para que possam ser efectivamente postos em prática.

Entre outras razões, talvez porque, se for aprovada, esta Lei vai permitir referendos por iniciativa dos próprios cidadãos. É que, ao contrário do centrão, para o PCP, Autonomia só se entende quando conjungada com Democracia. E é preciso passar das palavras aos actos para as conjugar.

3 comentários:

Anónimo disse...

Diz que vão fazer um referendo na Graciosa, por causa de um coreto.

Louvado seja Deus.

Tiago R. disse...

Falta-lhe ir À Graciosa e conhecer o problema, nitidamente.
Referendos locais já existem há muito tempo.
Chama-se democracia directa!

Anónimo disse...

A «democracia directa» vai pois ter aplicação prática na Graciosa. Por um «problema de dimensão real» associado a um coreto, perceba-se.
Quando não há que fazer, tudo são pretextos.

Repito: Louvado seja Deus!