terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

esvaziar o parlamento

Ao contrário do que esperava, começa mesmo muito mal o mandato da nova Secretária Regional da Educação.

Ao aprovar na 2ª feira o que recusou discutir no Parlamento na 6ª feira anterior, Cláudia Cardoso deu o tom do que vai continuar a ser a actuação do Governo: Posso. Quero. Mando.

Por mais que o Governo o tente esconder, a pressão dos sindicatos, a proposta de Resolução do PCP e a ameaça não concretizada de debate de urgência do PPM iam conduzir a nova secretária a um beco sem saída, logo na entrada das suas funções.

No entanto, ainda resta saber até onde é que a SREF pretende dobrar a letra da lei, reduzindo as vagas a concurso para poupar mais uns tostões à custa da educação. São, por isso, completamente disparatadas as declarações de vitória do PPM. Risíveis, no mínimo.

Também a nomeação de Graça Teixeira para Directora Regional da Educação vai deixar na bancada socialista um deserto profundo em termos de matérias relacionadas com a educação. Não surpreende. Pois é claro que para o PS, não é o Parlamento que interessa.

8 comentários:

José disse...

É verdadeiramente comovente a preocupação deste comunista com a bancada do PS.
É como se um socialista começasse a chorar de pena perante o definhar do eleitorado do PCP...
Haja paciência!

Tiago R. disse...

Creio que não me entendeu.
O que eu disse é que isso demonstra a atitude de subvalorização do Parlamento e do seu papel por parte do PS.

geocrusoe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cefaria disse...

É frequente, infelizmente, um partido que tem maioria absoluta no parlamento desvalorizar este órgão e tratar o seu grupo parlamentar apenas como um títere nas mãos do Governo.
Igualmente a entrada quase em simultâneo de um director regional com a mudança de secretário, indicia que o cargo direcção administrativa, de carácter essencialmente técnico, mais do que ser de confiança política... é mesmo político.

Anónimo disse...

A anterior Secretária da Educação bateu com a porta de forma coerente e, sobretudo, de um jeito impressionantemente desinteressado e digno.

A politica nos Açores, esta a ser cada vez mais, feita por quem não deve.

Tiago R. disse...

Ninguém acusa Lina Mendes de falta de dignidade.
Só de falta de competência, mesmo.

Anónimo disse...

Do ponto de vista técnico, a ex-secretária da educação é do mai competente que temo nos Açores.
Do ponto de vista da posse, do discurso, da pompa e da circunstância, tinha pouco jeito.

Resta saber, numa área fulcral como essa, do que é que precisamos.

Anónimo disse...

A Drª Lina Mendes, da qual guardo excelentes recordações de professora, é uma Senhora!
Acabou por dar uma grande lição de honra politica aos seus pares, a Carlos César e a certa oposição tacanha, saindo pelo seu pé, não participando em cambalhotas.