sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

para que serve a UGT?

Através do Flamingo
fiquei a saber que a UGT pretende que as negociações com vista a alterar o Código do Trabalho "terminem rapidamente" e que João Proença acha que "os desempregados não podem continuar à espera de soluções saídas da concertação".

A UGT continua a confundir responsabilidade com subserviência. Não tendo, ao contrário da CGTP, uma visão do que deve ser o desenvolvimento equilibrado do país (e basta ler os documentos dos congressos das centrais para perceber a diferença), a UGT remete-se sempre à negociação "sectorial", desligada do conjunto das diferentes realidades que afectam os trabalhadores. Essa falta de visão reivindicativa de conjunto leva-a de capitulação em capitulação, a tornar-se cada vez mais o parceiro do patronato, em vez de ser a defensora dos trabalhadores.

Depois, sem querer fazer processos de intenções, a composição do Secretariado Nacional torna impossível não pensar em, aqui sim, instrumentalização partidária pura e dura. Assim, para que serve a UGT?

Sem comentários: