segunda-feira, 4 de abril de 2011

reiventar a esquerda

O anúncio de um encontro ao mais alto nível entre PCP e BE não pode deixar de ser uma boa notícia para a esquerda. Também o facto de ambos os partidos terem reuniões magnas agendas (Encontro nacional do PCP a 17 de Abril e Convenção Nacional do BE a 7 e 8 de Maio) augura decisões importantes, com reflexos em toda a vida política nacional.

Num momento em que se agiganta a pressão da direita, acompanhada pela dramatização do PS, visando impor soluções ainda mais radicalmente direitistas, com o seu cortejo de impactos destrutivos sobre o país, é imperioso construir e afirmar uma alternativa.

Sobre os moldes, formas e tempos dessa alternativa, não tenho ideias definidas, mas reconheço-lhe a urgência. Quanto a convergências, elas são óbvias e já se verificam em quase tudo na Assembleia da República. Portanto, os obstáculos a esta aproximação são mais de carácter psicológico e simbólico e efetivamente contrariados pela fria análise política.

Imagino a preocupação com que este momento deve estar a ser olhado no Largo do Rato, pois o PS sabe bem que BE e PCP podem perfeitamente conseguir superá-lo eleitoralmente, reinventando o quadro partidário da esquerda.

O momento que o país atravessa, com as suas terríveis ameaças, mas também com as suas exaltantes possibilidades, impõe a responsabilidade aos dois partidos de conseguirem fornecer essa alternativa. Os olhos de todas as esquerdas vão estar postos nessa reunião. E os da direita também.

3 comentários:

cefaria disse...

Não estou tão certo se uma união de facto BE+CDU (penso que não sairiam os Verdes) pode superar eleitoralmente o PS, até porque penso que o BE tem perdido eleitores precisamente para o mundo rosa e alguns não se sentem bem ao lado do PCP.
Apesar de eu ser do centro direita luso, reconheço que é uma novidade nesta luta à vítima autoinocentada sócrates que nos liderou nesta caminhada nacional nos últimos anos

Tiago R. disse...

Certezas também não tenho. Mas a confirmar-se o mergulho eleitoral de José Sócrates (mais do que do PS) é certamente uma possibilidade. Além disso creio que, de alguma forma juntos, poderão valer bastante mais do que a soma das suas votações isoladas.

cefaria disse...

Para responder a tua última frase:
http://margensdeerro.blogspot.com/2011/04/alianca-pcppevbe.html