terça-feira, 11 de outubro de 2011

afinal os mercados confiam na Grécia


Então o problema grego é uma questão da credibilidade financeira de um país ou da taxa de remuneração dos agiotas que o saqueiam?

12 comentários:

Sam disse...

Estas "grandes mentes" da política e finança europeia andam é todas bem à nora e ainda não o entenderam... Isso é que nos vai levar à desgraça final.

Dr Koch disse...

voce percebe que esta a comparar taxas com maturidades completamente diferentes? eu peco que voce empreste dinheiro a grecia para aprender uma licao, e so conversa fiada de alguem q devia estudar os assuntos antes de escrever

Tiago R. disse...

Entendo o suficiente para perceber que, ainda que a mais curto prazo, o juro que pagam é suficientemente alto para ser um negócio da China, à custa dos recursos gregos.

Anónimo disse...

eh incoerente atacar as elevadas taxas de juro como especulativas e ao mesmo tempo defender o incumprimento da divida de portugal e grecia.

as elevadas taxas de juro esta la precisamente para compensar os investidores das perdas do incumprimento que voce mesmo advoga.

se investisse seu propria dinheiro ia entender de certeza.

Tiago R. disse...

Temos dívida (que agora já nem conseguimos pagar) justamente por causa dessas altas taxas de juro. Além disso, fora da Europa e em troca de benefícios aduaneiros há mais mais quem nos empreste.

Anónimo disse...

voce acha q temos dividas devido a altas taxas de juro? voce inverte tudo.

voce nao sabe do que esta falando, olhe que se devia informar melhor, a taxa de juro so subiu ha 2 anos quando a probabilidade de falencia e de possivel incumprimento se tornou obvia demais. se voce acha que nao lhe vao pagar nao pede juro mais caro?

voce gosta mesmo de inverter tudo, felizmente eh facil de verificar que voce esta errado, basta conferir os numeros da divida liquida externa do portugal de ha 2 anos atras. mas nao me peca para fazer seu trabalho, esta tudo no site do banco de portugal e se calhar ate do ine.

Tiago R. disse...

Quando olhar para esses números, não se esqueça de lhes juntar os da dívida privada dos nossos bancos e empresas.
E reveja essas datas, o serviço da dívida começou a tornar-se insustentável quando, mais ou menos por volta de 2004, o BCE começou com aumentos sistemáticos à taxa directora, na sua cegueira monetarista de valorização do Euro.

Anónimo disse...

a divida liquida externa ja inclui esses numeros que falou.

o aumento dos juros do bce foi para conter a inflacao e nao teve impacto de maior na divida total nacional. na realidade voce so tem de olhar para os EUA onde as taxas tem sido bem mais baixas e onde o problema comecou !

taxas baixas incentivam a especulacao desenfreada e provocaram a crise do subprime, precisamente o que voce e eu pretendemos combater, portanto o bce so fez o que estava certo. com taxas mais elevadas nunca teriamos tido a actual crise pois a divida nao teria expandido tanto por ser mais cara.

Tiago R. disse...

Então agora já só posso olhar para os EUA, já não posso também falar de Portugal? Omessa!

Se se quisesse mesmo combater a especulação tinha-se acabado com os off-shores, taxado as transacções bolsistas, regulado (a sério) o mercado bancário.

Anónimo disse...

off-shores? isso e para combater evasao fiscal, nao especulacao

http://www.youtube.com/watch?v=ZTFrARD_zhc&feature=mh_lolz&list=FLKa7jmawfQ8UxRRVxH35n-w

uma opiniao inteligente, veja o video

Anónimo disse...

falei dos EUA para dar exemplo de um pais com taxas baixas e onde o problema foi ainda maior, taxas baixas sao o pior que voce pode fazer pois incentivam a especulacao,

se portugal nao aguenta uma moeda forte entao tem de sair do euro, isso seria o melhor para o pais.

Tiago R. disse...

Finalmente estamos de acordo em alguma coisa!