quarta-feira, 26 de outubro de 2011

é devagar é devagar é devagarinho


Até não parece mau, mas esta velocidade é a utilizada em condições ideais, que por aqui raramente o são. Além disso, depois de ter passado, esta semana, umas gostosas 3 horas para lá, 3 horas para cá, a bordo de um navio sob mau tempo, para percorrer as vinte e poucas milhas que separam a Horta das Velas de São Jorge, não me parece que a viagem se vá tornar assim tão mais atraente, com apenas mais dois (potenciais) nós de velocidade. Depois, preocupa-me que os navios que deveriam servir por bastantes anos cheguem à Região já no seu limite, de velocidade, neste caso. Mas cá estaremos para ver e julgar.

Estas alterações ao projecto dos navios, que já se dão na fase de concurso, foram a causa do triste naufrágio do Atlântida e Anticilone. Batamos na madeira e esconjuremos o mau presságio.

2 comentários:

Manuel disse...

Boas bate na madeira mas certefica-te que seja madeira da boa, pois por este andar não sei não...
Um Abraço,
Manuel

cefariazores disse...

Isto depois de nunca terem assumido que por teimosia conduziram mal o processo do Atlântida e do Anticiclone e terem provocado um rombo financeiro num dos poucos estaleiros navais do Continente, com riscos sociais gravíssimos... depois pedidos solidariedade ao Continente...