quarta-feira, 19 de outubro de 2011

os funcionários públicos, esses privilegiados

Fonte: Público 19/10/2011

14 comentários:

cefariazores disse...

Infelizmnente muitos cultivaram um ódio aos FP, e alguns destes também exibiram direitos de uma forma ostensiva que alimentava ódios, mas na realidade quando se equiparam níveis de formação não usufruiammuitas vezes de melhores vencimentos, sentia-se sobretudo uma maior estabilidade de emprego.
No gráfico também existe uma aproximação dos acréscimos de salários à inflação ou mesmo ultrapassando esta coincidente com a proximidade de períodos eleitorais...

Tiago R. disse...

Pois, o problema é mesmo esse. Em ano de eleições...

Anónimo disse...

nao sei voces conhecem os numeros do banco de portugal que comparam salarios entre o privado e a FP para a mesma funcao, remeto-vos para la, vao aprender algo de novo e interessante

Tiago R. disse...

Caro anónimo, venham de lá esses números e falaremos. Não os acha, pois não...?

Entretanto, também os trabalhadores do sector privado têm perdido poder de compra.

A única excepção são mesmo os bancos e grandes empresas nacionais cujos lucros nunca abrandaram. Pelo contrário...

Anónimo disse...

chamo a atencao para o facto de que alem disso a despesa com funcionarios aumentou durante o mesmo periodo e a despesas com pensionistas ainda mais visto o numero de funcionarios e pensionistas ter aumentado,

o dinheiro nao estica ate ao infinito e o estado portugues faliu devido as politicas despesistas apoiadas na sua maioria pelo pcp, bloco etc

Anónimo disse...

esta tudo no site do banco de portugal

Tiago R. disse...

Não, meu caro. Portugal faliu com o serviço da dívida, com a perda dos lucros das empresas privatizadas, com a não taxação dos grandes negócios, com o serviço da dívida e - a cereja no topo do bolo - com os milhares de milhões de euros (quantos?) para recapitalizar o BPN.

Entretanto, apesar do aumento da despesa, o número real de funcionários públicos reduziu-se, e muito. O que aumento foi a subcontratação de serviços por parte do Estado.

Tiago R. disse...

No site do Banco de Portugal onde?

Anónimo disse...

sim, subcontratacao, vai dar no mesmo, o numero de funcionarios aumentou logo a despesa total aumentou.

voce sabia que a despesas de subsidios/aposentacoes/salarios sao 85% da despesa publica? e q a despesa publica eh 50% do pib? voce nao esta entendendo o problema se acha q a razao eh o bpn, o bpn eh uma porcentagem muito pequena da divida, va fazer as contas e se informe primeiro.

portugal faliu porque nao tem dinheiro para pagar tanto a tanta gente, teria de produzir muito mais. se voce quer mesmo que portugal melhore entao tem de se concentrar na crescimento economico. direitos sem produzir nao sao possiveis.

em relacao aos bancos, qual foi a posicao do pcp, nao foi nacionalizar o bpn ? entao de que se queixa? eu fui contra.

Tiago R. disse...

Caro anónimo:
Em primeiro lugar tente melhorar o português, porque está meio difícil entendê-lo...

Em segundo lugar, subcontratação não é a mesma coisa do que usar os próprios serviços do Estado (fazer trabalhar os funcionários públicos), que fazem o mesmo só que mais barato.

Depois, está a confundir despesa pública que inclui todos os investimentos do Estado com a despesa com pessoal.

Por fim, pôs o dedo na ferida e estou de acordo consigo em relação à produção nacional. E foi isso que o PCP sempre defendeu. Por isso propusémos medidas para impedir a deslocalização de empresas e opusémo-nos à destruição da nossa agricultura e pescas pela UE.

Por fim, o PCP NÃO APOIOU a nacionalização do BPN. Informe-se.

Anónimo disse...

voce gosta de fazer a coisa parecer complexa quando eh muito simples,

nao pode fugir do facto de que a despesa com pessoal so tem vindo a aumentar. eh so isso que importa.

se contrata muita gente e nao tem dinheiro eh obvio que tem de pagar menos ou taxar mais! e so isso que esta acontecento, eh bem simples de entender.

agora voce pode argumentar que ha dinheiro, isto apesar de a despesa do estado estar em 50% do pib, opiniao que seria errada claro, nenhum pais se mantem desenvolvido com despesas relativamente ao pib tao elevadas. e so olhar para o ex-bloco sovietico para entender o que estou dizendo.

em relacao ao bpn, se o pcp nao apoiou a nacionalizacao entao ainda bem, mas na altura nao foi isso que pareceu pelas declaracoes dos deputados

Tiago R. disse...

Caro anónimo:
Não pode discutir com seriedade dizendo: "este aspecto não me interessa".
Tem Mesmo de ver o problema todo. E o problema é que os funcionários públicos são menos e ganham comparativamente pior. Com os respectivos efeitos negativos sobre as vendas das empresas.
Está a perceber o ciclo?

Anónimo disse...

ate aos cortes actuais os FPs ganhavam mais do que no privado pelo mesmo trabalho, isto de acordo com o banco de portugal, a diferenca em media era de 30%.

alem disso nao sao despedidos, no privado voce eh despedido e perde 100%, onde esta a igualdade com o publico? os FPs estao bem relativamente falando, claro. estao mais protegidos.

se descer salario nao eh bom entao que tal ser despedido? bem pior, claro.

Tiago R. disse...

No privado se for despedido sem justa causa tem de ser indemnizado. No estado não.

No privado tem direito a subsídio de desemprego. No Estado Não.

Essa percentagem que apresenta só é válida para os trabalhadores menos qualificados. Porque a generalidade deles recebe mesmo bastante menos. Veja os números do público de ontem.