segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

a cara da direita

Portugal é o único país da Europa onde as medidas de austeridade têm um "efeito claramente regressivo", isto é: aprofundam a desigualdade entre os 20% mais ricos e os 20% mais pobres. E quem o diz é um estudo publicado pela insuspeita Comissão Europeia. Paradoxalmente o mesmo organismo que por diversas vezes tem elogiado o esforço levado a cabo pelo Governo português.

Este é, como sempre foi, o objectivo de PSD e CDS-PP, ampliar a fatia dos recursos nacionais que se destinam à sua base social. Para lá da sua demagogia abrangente de "catch all parties", a verdade é que servem uma determinada classe e não a maior parte dos portugueses. Podem ter silenciado a luta de classes, mas as razões para ela aqui estão, bem à vista de todos.

A direita no poder está a cumprir bem o seu papel. Mas acho que também não pode ser esquecido o papel do PS (até porque muito deste cenário foi criado ainda por José Sócrates) e o seu apoio ao Memorando do FMI que é, afinal, a base ideológica e material das medidas de austeridade e do aprofundamento das desigualdades.

Sem comentários: